A vida é minha, e eu conto ela do jeito que eu quiser!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Noite passada

"Acordei em lençóis que não eram meus, numa cama que também não era a minha. Eu havia passado dos limites, mas isso era algo que eu já tinha me acostumado. Eu gostava da incerteza que tinha ao acordar: "Onde fui parar esta noite?". Não me adientei na cama, não quis no primeiro momento saber de quem era, mas diferente de todas as sensações que já tive fui dominada por uma angústia e aflição. Sem saber o motivo, sem me dar conta, estava chorando. Não era um choro sereno, algo que você consegue com uma depressão repentina. Era um choro forte, e mesmo que eu o impedisse pensando em qualquer coisa, ele não cessava.
Passei a minha vida inteira tentando deixar todos infelizes como eu estava. Não é algo que alguém possa me culpar, jogar um pedaço da culpa nos outros é sempre bom pra te aliviar, sempre deu certo comigo. Sempre, até agora.
E sim, deu muito certo! Todos eram infelizes, milhões de garotas querendo ser como eu, procurando sempre uma desculpa para ser errada, fingindo uma infelicidade infinita que justificasse suas atitudes. Milhões de garotas que poderiam ser brilhantes, ter bolsas em faculdades caras, mas se perderam quando o destino me colocou no caminho. Dessa vez não tinha em quem jogar a culpa.

Ouvi vozes no cômodo vizinho, nenhuma que reconheci. Dessa vez eu realmente tinha passado dos limites."

Pena que minha inspiração vem em trechos ou em capítulos, nada que dê pra terminar de uma vez esse livro. Que nem eu aguento mais

Um comentário:

disse...

aah mas voce vai ter que aguentar, eu quero muito ler esse livro todo e completo, ihi.